A louca da Savassi

Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Essa foi a frase twittada desanimadamente por Leo Ferreira ontem à noite enquanto saíamos de um evento PORRE em que trabalhamos e íamos para o Mc Donalds da Savassi. Vamos encher a pança de porcaria e acabar com toda essa merda, pensamos nós, com alegria.

Quarterão pra mim, Big Tasty pra ele, e batatinhas, e refris e a Savassi estava lotada de pessoas de todos os tipos. Uma das atividades que ainda vou realizar em minha vida é tirar um dia desses e simplesmente sentar para observar os tipos de pessoas que frequentam a Savassi. É um super laboratório para atores aquilo ali. Você tem uma infinidade de personagens bizarros para pesquisar e fazer para o resto da sua vida sem esgotar jamais.

Terminamos de comer e pela primeira vez na vida, não nos levantamos e fomos embora imediatamente. Ficamos sentados lá como amebas falando porcarias e olhando a menina que parecia a Gorete Milagres muito mais do que eu NÃO pareço.

De repente, senta na mesa ao lado uma menina de uns 20 e poucos anos. Ela esconde o rosto entre os braços deitados na mesa e soluça, chorando. Tomei um susto. Ela tá rindo ou tá chorando? Tá chorando! E bem desesperada. Deve ter sido assaltada, deve ter se perdido, deve ter brigado com alguém, ou está chorando por causa de homem, o que é beeemmm mais provável. Vou lá. Não sou homem sensível, mas também detesto ver mulher chorando.

– Oi, moça, você está precisando de alguma coisa? Uma água, um abraço?

Sou ou não sou uma fofa?

– Meu namorado é louco!

– O que aconteceu?

– A gente tava brigando dentro do carro, aí ele parou no sinal, mas ele tava tão puto que ele chutou o parabrisa do carro e quebrou! Aí eu fiquei com medo e saí correndo. É que ontem ele foi no Café, sabe? O Café de la Musique (???????) e eu tenho certeza que ele foi, mas ele disse que não. Aí eu queria que ele me levasse lá pra me provar que ele não tinha ido, mas ele disse que não precisava me provar nada, e aí ele fez isso!

Que tenso, né.

– Entendi. Não tem alguém que você possa ligar? Uma amiga? Seus pais?

– Não, meus pais viajaram hoje e eu estou com medo de dormir em casa sozinha, vai que ele me mata? E minhas amigas, sei lá, eu tenho meio que vergonha de contar isso pra elas…

– Mas sendo uma situação de emergência, é melhor deixar uma amiga avisada. Liga pra alguém.

– Minha bolsa ficou no carro!

Que estúpida!!!

– Você deixou sua bolsa no carro? Nossa, você não podia ter feito isso! E agora? Você está sem celular, sem chave de casa, sem carteira, sem dinheiro e sem documento. Vai ter que ligar pra ele e pedir pra ele voltar e trazer sua bolsa.

– Não quero ligar.

– Não tem outro jeito…

Ficamos uns cinco minutos parados ali, ela tremendo, assustada, chorando, e eu e Leo nos entreolhando com cara de “puta que pariu, que pau eu fui amarrar minha égua”. Aí ela me cutuca e me mostra o namorado transtornado dentro do Mc Donalds procurando por ela. Meu impulso era de ir atrás dele e avisar que ela tava lá, mas ela não fez nada e eu não poderia me meter muito mais. O cidadão simplesmente saiu, louco, nervoso, olhando para todos os lados, menos para o lado em que ela estava.

Estúpido!!

– Quer que eu chame?

– Não.

– Quer que eu vá atrás dele e pegue sua bolsa?

– Não.

– É melhor pegar sua bolsa.

– Não, eu estou assustada.

Tá bom, vaca, mas pelo menos pega a sua bolsa, caraio!

Passam mais cinco minutos. Nesse intervalo um garoto simpático do outro lado do vidro faz sinal me chamando. Eu me aproximo.

– Vi que ela está chorando… Tudo bem com ela? Ela precisa de alguma coisa?

– Ah, tudo bem, ela só brigou com o namorado, acho que está um pouco chapada. Nada de mais, não se preocupe.

– Poxa, chato ver mulher chorando né. (Ah, ele era sensível, veja que graça.) Mas beleza, qualquer coisa estou aqui do outro lado do vidro.

– Falou. Valeu.

Voltei para dentro.

– Me empresta o seu celular? – Veja quem resolveu tomar alguma atitude nessa vida!

– Claro!

Puta que pariu, meus créditos chegaram hoje, fala sério… Tudo bem, vamos lá, fazer a sua boa ação do dia, vamos ser legal com o próximo, vamos fazer pelo outro aquilo que gostaria que fizessem com você, vamos desapegar dos bens materiais…

Nessa hora a pobre menina chorona se transforma num monstro à la “Pedro cadê meu chip”:

– TIAGO! Deixa de falar besteira, deixa de ser idiota! Você precisa de um tratamento psiquiátrico! (Quem?) TIAGOOOO, ME ESCUTA, TIAGO, ME ESCUTA! Cadê você? Cadê você Tiago? CA-DÊ-VO-CÊ? TIAGOOO!?

Ela berrava e de repente se levantou e saiu correndo para a rua, e eu saí correndo atrás dela feito louca também.

– Ô! Meu celular!

Não sou tão desapegada assim, perdoa, Deus.

A menina saiu andando e chorando descontroladamente, não prestava atenção se estava na calçada ou na rua. Ela continuava no telefone, gritando, chorando e perguntando onde ele estava. Quase foi atropelada umas duas vezes e eu a tirei do meio da rua, tentando segurá-la na calçada e perto de mim e eu perto do meu celular. Nessa hora o Leo vinha correndo com minha mochila nas costas, que eu havia deixado dentro do Mc Donalds. Ele estava incrédulo.

– Tiagoooo, cadê você?

– Tô aqui, meu amor! – Um adolescente bêbado passava por ela e falou. Ela ignorou, eu ri e disse:

– Não faz isso, ela está sofrendo!

– Jura? Eu estou me divertindo! – E foi embora. Eu gostaria de estar me divertindo mais com toda a aventura, mas ela estava gastando todo o crédito do meu celular e eu realmente não estava gostando muito disso.

Ela estava à beira de um ataque de nervos, eu já havia mandado ela desligar o telefone, afinal meu dinheiro não é capim e ela parecia uma patricinha bem da xiliquenta. Foi quando ela viu o playboyzinho do Tiago de camisa Pólo listrada, desligou o telefone, jogou na minha mão e foi atrás dele. Ela tentava abraçá-lo e ele pegou no braço dela bem estupidamente e saiu arrastando ela pela rua afora meio como homem das cavernas. Ela falava, gritava, esperneava, e ele parecia firme e decidido.

Eu e Leo observamos até eles sumirem de nossas vistas e voltamos no cara do outro lado do vidro (vulgo Matheus) para atualizar os últimos acontecimentos. Depois de muito conversar, chegamos à conclusão de que ou ele a mataria, ou ela o mataria, ou eles fariam sexo loucamente a noite inteira para hoje brigar de novo.

No final das contas a gente riu de tudo e eu fiquei feliz por ter recuperado meu celular. Fiquei feliz também por não ser como ela, e caminhando em direção ao carro, fiz alguns pedidos ao universo e promessas para mim mesma: nunca serei assim, nunca deixe que eu namore um cara assim, nunca deixarei que meus relacionamentos cheguem a esse nível de falta de carinho e de respeito. Que eu nunca precise pagar esse mico no meio da rua por causa de um homem que me trate feito uma vagabunda, e que eu nunca me sinta desesperada e perdida por causa de um homem, não importa quem ele seja. Amém.

PS: Natália, se você estiver vendo esse post por alguma ironia do destino, de nada viu? Espero que você fique bem e faça um tratamento psiquiátrico, urgentemente. Obsessão e possessividade destroem qualquer relação e qualquer pessoa. Você precisa se livrar desse homem! Vai arrumar um emprego, vai ocupar a cabeça com algo útil em vez de ficar tendo crises de ciúme. Seu namorado não é tão bonito assim e nem você. Ah! Meu telefone está gravado no celular dele, mas eu não tenho nada com ele, antes que você me mate. E mais, aproveite que tem meu número e me mande uma mensagem. Vamos marcar um encontro pra você pagar minha próxima conta de telefone.  Abraço, amiga!

About marcattibella

Atriz, improvisadora e palhaça de profissão. Metida a escritora. It's a beautiful lie. Ver todos os artigos de marcattibella

8 responses to “A louca da Savassi

  • Gabi Bueno

    Bella, é sensacional vc comentando as coisas! Eu ficava indignada com a situação e achava sensacional vc comentando. Mas que loucuraa!! o.O “Que eu nunca precise pagar esse mico no meio da rua por causa de um homem que me trate feito uma vagabunda, e que eu nunca me sinta desesperada e perdida por causa de um homem, não importa quem ele seja. Amém!” [2]

  • Fábio Lins

    Que bonitinho você deixando recado pra doida no final. Bom, pelo menos foi depois de já teram comido as batatinhas. Ia ser muito dolorido ela atrapalhar e você voltar pras batatas murchas no final.
    Bjus momor

  • Simone Boff

    Relacionamentos destrutivos: se você não passou por um, Deus te guarde pra que nunca passe. Se está em um, tenha força e saia, antes que o grande prejudicado da história seja você.

    • marcattibella

      Exatamente! Eu já passei por um e sofri tanto e aprendi tanto com ele que o término me transformou em quem sou hoje, uma pessoa 200x melhor, mais equilibrada, mais tranquila…
      Obrigada pelo comentário, querida! Beijo!

  • jbento

    Você escreve muito bem. Mesmo com toda a tensão da situação, a gente se diverte lendo o texto.
    Quem sabe ela lê e te paga até uma pizza para vcs baterem um papo mais descontraído.

    Bjs

  • Aline Silva

    Bom dia flor…morri de rir dessa situação,mais ao mesmo tempo fiquei preocupada com essa “louca”..kkk..ela tem q saber se valorizar,procurar algo q ocupe a cabeça dela (como vc mesmo disse),mais ela tem q “tomar vergonha na cara” e saber aproveitar a vida dela com coisa util..Espero que essa situação sirva de exemplo pra ela,e tb para todos nos..kkkkkk..
    Acho hilario essas suas situaçoes do dia a dia..kkkkk…
    No mais,tenha uma otimo dia..Abraços menininha…..kkk

  • Dafne

    Olha bela, já li post aqui que dava pra rir… mas esse aqui é pra MORRER DE RIR! sensacional! kkk

  • Carlinha Gomes Muzzi

    Adorei! Vc é o máximo, minha Xuxa!!! Ri muito (nos olhos dos outros é refresco… rs)!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: