Felicidade obrigatória

Não quero começar esse texto falando como uma intelectualóide, como se isso aqui fosse um artigo pra revista. “Na sociedade atual…” ou “O mundo em que vivemos…”… Estou cansada de falar sério, de ter que me fazer entender, de ter que explicar tudo. Como faz pra falar de alguma coisa que eu sinto sem precisar destrinchar tudo pedacinho por pedacinho?? Será que você precisa mesmo entender o que eu escrevo ou eu posso escrever do meu jeito mesmo que ninguém entenda?

Estamos cheios de obrigações. Sempre estivemos. Cheios. Abarrotados. Mergulhados, insuportavelmente afogados em tantas obrigações. A gente vai crescendo e elas vão mudando, se multiplicando, se tornando maiores e mais complexas. A obrigação que mais tenho detestado nos últimos tempos é a de ser feliz.

Sou obrigada a ser feliz, mesmo que de mentira. Tenho que agradecer a sei lá quem todos os dias por ter uma casa, por ter família, por ter um namorado, por ter trabalho, por ter dinheiro, por ter saúde, por não me faltar nada. Reclamar? Não, nunca, nunca posso reclamar de nada, pois a vida sempre está muito boa, boa demais pra ser verdade. Mas…

E se um dia eu acordar de pé esquerdo? E se um dia o sol tão lindo e tão brilhante não aparecer pra mim? E se eu estiver TRISTE? Qual é o pecado que estou cometendo? O que há de errado? Qual o problema em se deixar ficar debaixo das cobertas curtindo essa fossa? E se hoje eu não quiser ser feliz? E se eu realmente não estiver…?

 

Estou cansada de ter que lutar todos os dias para encontrar a felicidade. Talvez porque ela seja algo tão maior e tão mascarado, algo tão sublime, ou nas coisas tão tão pequenas… que quase se torna inexistente.

Dia nublado

About marcattibella

Atriz, improvisadora e palhaça de profissão. Metida a escritora. It's a beautiful lie. Ver todos os artigos de marcattibella

4 responses to “Felicidade obrigatória

  • Flávio Lobo Cordeiro

    Moça.

    Realmente a tristeza é de cada um, e sim, no mundo de hoje com relações virtuais, chega a ser deprimente.
    Antigamente líamos Contigos, Caras, e Claudias, achávamos que a felicidade acompanhava os bens sucedidos, os artistas, que sempre pareciam felizes em suas casas maravilhosas, com seus filhos lindos e animais de estimação de cinema. Tanto que estranháva-mos quando era anunciada a separação de um desses casais de celebridades. “Ué, semana passada na Caras eles juravam amor eterno??!”. Eles são felizes, infelizes somos nós, pobres mortais.
    Hoje em dia o mundo virtual é a revista de celebridades do povão. Aqui todos são felizes, espiritualizados e bem sucedidos. Só participam de eventos da hora, e têm os melhores amigos do mundo. Só eu que não, não é assim?
    Mas a verdade é que todos nós somos pessoas simples, com os mesmos problemas, em magnitudes variadas. O que muda é a forma com que lidamos ou ainda a forma como mostramos nossa vida aos outros.
    Curta a tristeza e, do seu jeitinho, com seus amigos e familiares reais, que são os que conhecem você de verdade, levanta, sacode a poeira e dá volta por cima. Afinal viver é se superar todos os dias!

    Beijos e muuuuuuitas saudades desse seu sorriso!

  • Lee Camisasca

    É Bella, é isso aí!!!! Muito claro o texto (não sei se vc teve que destrinchar kkk),muito bem escrito,muito real e muito tocante,,pelo menos a mim, que complico a vida (ou será que viver é complicado mesmo??). É MUITO difícil ter que ser feliz o tempo todo, viver num comercial de margarina!!!! Beijos amore, adorei o texto!!!

  • Gabi Bueno

    Simplesmente obrigada por escrever tão perfeitamente o que estou querendo dizer faz tempo. Faço minhas suas palavras! Sabe, sim…agradeço família, amigos, amor, realizações, por ter saúde, comida na mesa, trabalho….mas tem muita coisa também que me consome. É pressão de todo lado…e quem disse que diante disso não posso reclamar, não posso chorar, não posso ficar brava? E não posso simplesmente me entregar a essas emoções, pois tenho que sorrir, tenho que estar feliz….pelos outros. “Nossa Gabi, para menina. Você tem tudo! Agradeça e sorria!” Quem disse que eu tenho tudo? Só eu sei o que me falta e o que me faz bem….talvez muito do que eu tenho hoje, não me pertença, não está me aproximando de ser feliz. Talvez muito do que tenho é passageiro, não é real. Talvez muito do que tenho são sonhos de outras pessoas, são realizações minhas controladas por outras pessoas!!
    Como vc disse: “Estou cansada de ter que lutar todos os dias para encontrar a felicidade. Talvez porque ela seja algo tão maior e tão mascarado, algo tão sublime, ou nas coisas tão tão pequenas… que quase se torna inexistente.” Beijos Bella! Este texto seu vai pro meu mural, com certeza!

  • Adriana

    Precisava lêr isto hoje!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: